Review: "O Culto de Chucky" - "A franquia retoma sua essência causando nada mais que devastação e deixando uma trilha de sangue ao seu redor".

Imagem Reprodução: Jennifer Tilly segurando Chucky.

    Que Chucky é um clássico dos filmes de terror, todos nós sabemos. E como diz uma das memoráveis frases da franquia: "Um verdadeiro clássico, nunca sai de moda". Chucky volta para a sua sétima aparição em mais um longa, onde retoma sua essência causando nada mais que devastação e deixando uma trilha de sangue ao seu redor.

    Em "O Culto de Chucky", Don Mancini, escritor de todos os roteiros da franquia, e que dirige este, procura trazer à luz algumas questões que permaneceram na escuridão nos filmes anteriores. Começando com a volta de Andy Barclay, novamente interpretado por Alex Vincent. Como foi visto nas cenas pós créditos no filme anterior "A Maldição de Chucky", foi possível rever Andy, agora adulto, recebendo um pacote enviado pela noiva de Chucky. Que logo foi visto que ele acabara de receber a visita do próprio brinquedo assassino.  

Imagem Reprodução: Chucky mostrando o dedo do meio.

    Sinopse: Contida em um asilo para criminosos insanos nos últimos quatro anos, Nica Pierce (Fiona Dourif) está erroneamente convencida de que ela, e não Chucky (Brad Dourif), assassinou toda a sua família. Mas quando seu psiquiatra introduz uma nova "ferramenta" terapêutica para facilitar as sessões de grupos de seus pacientes - um boneco muito familiar, com um rosto sorridente e inocente - uma série de mortes horríveis começa a atormentar o asilo, e Nica começa a se perguntar se talvez ela não é louca à final de contas. Andy Barclay, o inimigo de Chucky, agora adulto, aparece para ajudar Nica. Mas para salvá-la, ele terá que superar Tiffany (Jennifer Tilly), a noiva de Chucky há muito tempo, que fará qualquer coisa, não importa quão mortal ou depravada seja, para ajudar seu amado boneco do diabo.   

    Como fã da franquia, não posso negar que amei o novo longa, que traz de volta uma vibe dos três primeiros filmes, mais sádico e ainda assim, com uma pitada de humor negro. Don Mancini faz um trabalho de resgate às origens de Chucky, introduzindo agora vários "Chukys" diferentes, o assassino aprende o novo truque online (uma grande sacada, na minha opinião), o que nos deixa pensando, o que pode surgir dessa nova possibilidade. Deixa muito claro a vontade de Chucky de terminar o que ele tinha começado com Andy, e agora com Nica. As mortes são algo que todos os fãs de filmes de terror não desaprovaria.

    Mais para o final, vemos algo inesperado, (não vou dar spoiler). Mas só digo que teve beijo "lésbico" entre Fiona Dourif e a lendária Jennifer Tilly. Enfim, acredito que "O Culto de Chucky" está aí para nos mostrar que a franquia não terminou, e tem muito a nos mostrar ainda.

Imagem Reprodução: Da esquerda para a direita: Fiona Dourif como Nica e Jenniffer Tilly.



Compartilhe no Google Plus

0 comentários:

Postar um comentário